Além do cuscuz com larvas, internautas fazem mais denúncias contra o Isea

Através da rede social Facebook, a internauta Janssy Lorrayne chamou a maternidade de Campina Grande – o ISEA, de “matadouro de sonhos”, referindo-se ao tratamento que está recebendo a sua irmã, que está em trabalho de parto.

A postagem da jovem tem quase 400 compartilhamentos e centenas de comentários, muitos deles com depoimentos de mulheres que foram atendidas no local e tiveram experiências absurdas dentro da maternidade.

A jovem diz o seguinte na postagem: “Estou aqui no “Isea” Instituto de Saúde Elpidio de Almeida” ou poderiamos chamarmos de MATADOURO DE SONHOS…Gente nunca pensei presenciar isso, estou aqui a 4 dias com minha irmã em trabalho de parto desde o primeiro dia, a competencia do corpo clinico desse MATADOURO é tão grande e tão exata que diagnostica tudo menos um trabalho de parto, a minha irmã está com 4,5 dedos de dilatação, contrações desde a que entrou no hospital e mais a criança dentro de seu ventre pesa 3,200 kg e ela é uma mulher franzina e ao meu ver não tem estrutura física de ter um parto em razões naturais com a criança desse tamanho, ela se irritou ontem no horário do atendimento médico devido ao stress que está passando e foi avisada pelo Médico “AÇOUGUEIRO” que seria atendida por último só pelo o que ela falou, passou um dia de fome por ordem médica. Para concluir vou tomar cafe da manhã nesse lixo de hospital e encontro larvas no cuscuZ…Onde está a saúde de nossa cidade ? Deixa eu ja responder, NO LIXO !!!Compartilhem não vamos permitir acontecer com outras pessoas”.

Na mesma denúncia existem outras denúncias de mulheres que passaram pelo Isea. Vejam alguns deles: Suyane Melo – Há 8 anos fui com minha irmã pra lá pois a gravidez dela era de risco e ela fazia o pré natal lá, fomos várias vezes ela já em trabalho de parto perdendo líquido e com contrações, e o que os médicos do plantão diziam era que não estava na hora, tentando apelar para o parto normal, sendo que ela não podia ter normal devido a problemas de asma entre outros, depois de várias idas e vindas resolvi ir falar com a diretora doutora Francimar, expliquei toda situação pra ela e disse que se não fizessem o parto da minha irmã eu ia chamar a imprença, ela mandou minha irmã ir a noite pra tirar o Bebe, resumindo, chegamos la as 20:30 e as 21:00 fizeram a cesariana e laqueadura da minha irmã, e depois de todo esse transtorno ela ainda pegou uma infecção hospitalar.”

Adjane Soares Soares – Não é só ai que está passando por esta falta de respeito com as pessoas não, toda a saúde Municipal está abandonada em Campina Grande, só tem dinheiro para fazer festinha e pagar salários altos para aqueles que não trabalha.

Lanny Silva – Eu entrei lá com a preçao 16.8 mi internaram, e começaram a induzir remédio, passei 4 dias só com contrações fortes, quando eu tive comesso de eclanpse fooi qie mi levaram com urgência pra fazer Cesária , resultado, minha filha teve infecçao porque engolio fezes pela demora ela fez coco na minha barriga, passamos 15 dias lá com minha filha sendo furada várias vezes pra colocar medicamento… Graças a Deus que ela está bem

Mércia Oliveira – Eu ia morrendo nesse inferno chamado Isea. Tentando induzir um parto normal com minha pressão cada vez subindo mais. Resultado, tive eclampsia, foi quando decidiram fazer uma cesária de urgência, passei quinze dias aí e meu filho na UTI. Um lixo de hospital, graças a Deus agora estamos bem e estou orando por vocês!

Tamara Albuquerque  – Quando fui ter minha primeira filha era de risco, fui encaminhada pra lá pra já fazerem um Cesário. É passei horas e horas eles tentando um normal. Quando resolveram fazer a Cesaria minha já tava desacordada,por pouco não perdi ela. Esse hospital cada dia que passa tá pior.

O prefeito Romero Rodrigues e outros responsáveis pelo hospital foram marcados na postagem.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO – ISEA

 

A Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande esclarece que instaurou procedimento administrativo para apurar a veracidade de denúncias divulgadas nas redes sociais a repeito da qualidade da alimentação fornecida para os pacientes e seus acompanhantes no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida – Isea.

 

A Secretaria de Saúde assegura ainda que a produção da alimentação oferecida no Isea segue rigorosamente todas as normas de Vigilância Sanitária. Todo processo é acompanhado por uma equipe de nutricionistas, que avalia diariamente a qualidade das refeições servidas na maternidade.

News Reporter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *